Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página

Projetos de Pesquisa - Linha Práxis educativa na sociedade digital

Última atualização em Terça, 09 de Junho de 2020, 15h36 | Acessos: 830

A CONSTRUÇÃO DE UM ITINERÁRIO FORMATIVO BASEADO EM ECOSSISTEMAS DE TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO APLICADO AO ENSINO MÉDIO

Coordenadora: Josiane Carolina Soares Ramos Procasko

Discente: Ana Carolina Vargas Madruga

As recentes mudanças do ensino médio, conforme a última homologação na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) em dezembro de 2018  e constituição de itinerários formativos, estimularam as escolas de educação básica a iniciarem processos de reestruturação. No Brasil, a expressão “itinerário formativo” tem sido tradicionalmente utilizada no âmbito da educação profissional, em referência à maneira como se organizam os sistemas de formação profissional ou, ainda, às formas de acesso às profissões. No entanto, na Lei nº 13.415/17, a expressão foi utilizada em referência a itinerários formativos acadêmicos, o que supõe o aprofundamento em uma ou mais áreas curriculares, e também, a itinerários da formação técnica profissional. (BRASIL, 2018) Por ser uma temática nova, muitas dúvidas circundam tanto secretarias de educação, como escolas, suas gestões e corpo docente. Ainda assim, a possibilidade de propor alterações no sistema estimula àqueles que acreditam na escola como agente de transformação e potencializador dos saberes e aprendizados. Nesse contexto, é necessário reorientar currículos e propostas pedagógicas – compostos, indissociavelmente, por formação geral básica e itinerário formativo (BRASIL, 2018). Ter a oportunidade de ofertar aos estudantes momentos de aperfeiçoamento de carreira, aprofundamento em áreas do conhecimento e até mesmo concepção e trajetória em seus projetos de vida é uma grande oportunidade que não pode ser desperdiçada ou concebida de modo superficial. Em países desenvolvidos onde a economia prospera, o trabalho acadêmico e  científico são reconhecidos e as comunidades possuem autonomia e incentivo para inovar e empreender contamos com educações que chegam a sete horas diárias , desde os anos iniciais da educação básica (MAURÍCIO, 2014). No entanto, ainda que essa realidade seja distante para o Brasil e não tenhamos políticas públicas que garantam uma educação em tempo integral, com a proposição dos itinerários formativos seremos capazes de ampliar a carga horária do ensino médio de 2.400 horas para, pelo menos, 3.000 em até 2022 (BRASIL, 2018) e seguir em acréscimo nos próximos anos, conforme maturidade dos projetos.  Não se tem como objetivo manter exclusivamente o aluno dentro dos espaços escolares, mas proporcionar experiências que o levem ao mercado de trabalho ou universidade mais amadurecido e seguro. Que ele tenha a oportunidade de refletir e fazer suas escolhas baseado em experiências e evidências vividas ao longo de seus três anos finais.  Além disso, a proposta desses itinerários é a concepção de um currículo prático no formato de clubes, incubadoras, laboratórios, núcleos, oficinas, entre outros. Sendo possível, ainda, parceria com outras instituições, realização de atividades fora dos espaços da escola e oferta de disciplinas na modalidade à distância (BRASIL, 2018). Conceber itinerários formativos baseados em ecossistemas de tecnologia, inovação e empreendedorismo, ressignificam os processos escolares e impulsionam os jovens a compreenderem as mudanças constantes em nossa economia e como o mundo do trabalho se constitui e se reinventa constantemente. Além disso, proporcionar o aprendizado com foco em projetos e resolução de problemas, estimulando o trabalho colaborativo e a busca pela inovação pautada em processos, tendências e instrumentos tecnológicos, sendo eles digitais, sociais ou analógicos. Evidencie a contextualização, a diversificação e a transdisciplinaridade ou outras formas de interação e articulação entre diferentes campos de saberes específicos, contemplando vivências práticas e vinculando a educação escolar ao mundo do trabalho e à prática social e possibilitando o aproveitamento de estudos e o reconhecimento de saberes adquiridos nas experiências pessoais, sociais e do trabalho (BRASIL, 2018). A tecnologia à favor da educação como mote que conecta a escola à sociedade preparando futuras gerações para assumirem espaços onde cada vez mais se torna presente a economia criativa e se criam novas profissões e ocupações dentro do conceito de empresas, spinofs, startups e outros modelos de trabalho.  Nota-se um número relevante de estudos adotando as contribuições das teorias dos estilos de aprendizagem como forma de disseminar as concepções educacionais inovadoras que se conectem cada vez mais às preferências dos estudantes, aos aspectos que integram as relações do saber ao mundo do trabalho. (BARROS ET. AL, 2017) Estimular currículos que tenham a tecnologia como área transversal, linguagem universal e ferramenta que colabora para o desenvolvimento de projetos, processos e serviços, qualificando, assim, a educação básica.

  

A FLUÊNCIA DIGITAL PARA ESTUDANTES DO ENSINO TÉCNICO POR MEIO DE UM CURSO NA PLATAFORMA FACEBOOK

Coordenador: Márcia Amaral Correa de Moraes

Pesquisador: Silvia de Castro Bertagnolli

Discente: Clarissa Santana

A pesquisa tem como objetivo geral a implementação de processos pedagógicos voltados a fluência digital de estudantes do ensino técnico em um curso realizado na plataforma facebook. Também, estabelece processos pedagógicos voltados à temática do curso, oferece informações através do curso sobre o propósito de atualização de aprendizagem de cunho tecnológico relacionados a prática profissional, além de demonstrar através dos dados coletados: o cenário atual destes estudantes antes, durante e após o curso de fluência digital no facebook. A metodologia utilizada neste projeto será uma pesquisa bibliográfica e de campo sobre o tema fluência digital, o ensino em Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVAs) no caso o facebook. Também sobre as temáticas relacionadas a educação a distância, suporte aos estudantes, o processo de aprendizado em rede e a tutoria  para este tipo de ensino. A escolha da literatura que embasou o presente projeto se restringiu no encontro de artigos e livros que versassem sobre os temas referidos acima.   Além das obras relacionadas com a temática a ser desenvolvida em conformidade com a linha de pesquisa da “Práxis educativa na sociedade digital”, na área de concentração da “Educação na sociedade em rede”, previstas no Projeto Político-Pedagógico do Mestrado Profissional em Informática na Educação.

  

A GESTÃO EDUCACIONAL NO CONTEXTO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS: AS IMPLICAÇÕES DOS PROCESSOS DE INOVAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES EDUCACIONAIS

Coordenador: Josiane Carolina Soares Ramos Procasko

Discentes: Bruna da Silva Santos, Greyce da Silva Rodrigues e Betina Isabel Henz Muller (Egressa)

Esta pesquisa pretende investigar os desafios, oportunidades e implicações relacionadas à prática gestora no contexto das tecnologias digitais em processos de inovação nas instituições educacionais. Propusemos como questão para orientar nosso trabalho: quais seriam as implicações da utilização das tecnologias digitais em processos inovadores para a gestão escolar na contemporaneidade? Acreditamos que é necessário desenvolver conhecimentos e práticas considerando a irreversibilidade que o mundo digital nos apresenta. Portanto, propomos a combinação destes três elementos: desafios atuais, ofertas tecnológicas existentes e conhecimentos associados a função gestora para trabalhar em um contexto complexo. Considerando que a maioria dos gestores não tiveram a oportunidade de utilizar as tecnologias na sua formação inicial enquanto ensino e aprendizagem, muitos obstáculos se fazem presentes para serem superados na sociedade em rede. Negligenciar essa realidade cria uma incongruência entre o mundo escolarizado e o mundo social. Realizaremos uma pesquisa qualitativa e exploratória, fundamentada em entrevistas realizadas com gestores de instituições educacionais que desenvolveram e/ou desenvolvem em suas práticas processos inovadores apoiados em tecnologias digitais. Como resultado principal, esperamos fornecer elementos: para compreender como se constitui um (a) gestor (a) inserido na cibercultura, e para formação de gestores, considerando cursos de formação inicial ou continuada (em serviço ou não).

 

ACESSIBILIDADE E INCLUSÃO DE ADOLESCENTES COM FIBROSE CÍSTICA NO USO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E DE COMUNICAÇÃO E NA CRIAÇÃO DE GAME IV

Coordenadora: Lizandra Brasil Estabel

Pesquisadora: Eliane Lourdes da Silva Moro (UFRGS)

Discentes: Clarice Albertina Fernandes e Luciana Kramer Pereira Muller (Egressa)

O Projeto aborda o uso de Tecnologias de Informação e de Comunicação (TIC) e a criação de game, por pacientes com fibrose cística (FC) internados no HCPA-RS. São objetivos: observar o processo de interação de adolescentes com FC, hospitalizadas em isolamentos, através do uso das TIC; observar e acompanhar a produção de imagens, vídeos e textual, dos sujeitos participantes; criar e desenvolver game, a partir de roteiro, elaborado pelos sujeitos participantes; coletar e analisar dados da pesquisa qualitativa a partir de instrumentos de pesquisa; avaliar o processo de comunicação e de interação entre os sujeitos, como vivência educativa, terapêutica e social nos ambientes de isolamento hospitalar e estabelecer parcerias entre instituições no âmbito da cidadania e da inclusão social, informacional e digital. Caracteriza-se como pesquisa qualitativa, baseada em estudo de caso, e o problema de investigação é verificar se o uso das TIC e a criação de game, possibilitam o processo de comunicação e de interação pelos sujeitos em quartos restritos, com outros na mesma condição ou não, como vivência educativa, terapêutica e social promovendo a autonomia? Os sujeitos são 5 (cinco), adolescentes com FC, entre 14 a 22 anos, hospitalizados no HCPA. A interação para a criação do game ocorre através do uso de redes sociais e de visitas realizadas periodicamente no ambiente hospitalar. A ferramenta que está sendo utilizada para a criação do game é o RPG Maker MV, pela sua facilidade na programação e de implementar o roteiro. Os pacientes testaram as fases betas do game e sugeriram melhorias. Foi realizada videoconferência entre os bolsistas e os sujeitos, através do aplicativo Skype para a criação do roteiro. Foi observado na elaboração textual que os sujeitos registraram seus medos e as limitações impostas pela doença, porém apresentaram elementos que os ajudariam a superá-los. Quando os adolescentes estão internados recebem visitas dos bolsistas, para que possam testar o game, trocar informações e falar um pouco da rotina no hospital. O game está em fase de produção e tem como foco a cooperação dos pacientes de FC que ficam por um longo tempo afastados do ambiente familiar e escolar. A idéia de criação de um game surge da necessidade de transmitir a informação através de uma forma lúdica, prazerosa e com uma linguagem que atrai o jovem e permite que este possa interagir e demonstre interesse em participar e aprender. A relevância é a oportunidade do sujeito tornar-se ativo através das TIC, e desta forma, as ações dos pacientes tornam-se significativas, pois elas oportunizam o exercício da autonomia, propiciam interações com outras pessoas, e permite a possibilidade de superação dos limites que lhes são impostos pelo meio.

  

AS TDICs COMO ESTRATÉGIA DE DES(SILENCIAMENTO) EM AULAS DE MATEMÁTICA

Coordenadora: Carine Bueira Loureito

Discente: Thais Koch

A disciplina de Pré-Cálculo, tem como objetivo revisar conteúdos de Matemática Básica e preparar os alunos para as disciplinas de Cálculo. No entanto, a disciplina de Pré-Cálculo, assim como as demais disciplinas de Cálculo, também apresenta elevados índices de reprovação. Para investigar a problemática da reprovação nas disciplinas introdutórias ao Cálculo realizei um estudo etnográfico durante um semestre em uma turma da referida disciplina. Com o estudo etnográfico pude me deparar com um contexto em que as tecnologias eram utilizadas como um recurso, um espaço onde os alunos tinham acesso aos smartphones e a internet, no entanto, um espaço que sinalizava, por meio do silenciamento, um distanciamento entre a professora e os alunos, e até mesmo entre os alunos. Deste modo a pergunta deste estudo se refere em como criar um espaço e tempo de convergência na sala de aula na contemporaneidade digital? De modo a complementar este estudo realizei uma pesquisa bibliográfica para investigar as estratégias utilizadas para diminuir as reprovações, dentre elas, destaco aqui a utilização das tecnologias. Realizei também uma busca por recursos baseados em TDICs e pude identificar uma variedade de recursos que podem ser utilizados para recuperar conteúdos de Matemática Básica e preparar os alunos para o Cálculo. Sendo assim, o objetivo deste estudo se refere em investigar como ultrapassar o uso das TDICs como ferramentas e propor a sua utilização como possibilidade de criar um espaço e tempo de convergência na sala de aula.

  

AUTONOMIA MORAL NO TRÂNSITO: É POSSÍVEL CONTRIBUIR A PARTIR DE UM CURSO DE CURTA DURAÇÃO?

Coordenador: Márcia Amaral Correa de Moraes

Pesquisador: Marcelo Augusto Rauh Schmitt

Discente: Sinara Cristiane Tres Soares

O presente projeto de pesquisa pretende investigar como um curso presencial de curta duração, que utiliza como recurso didático o aplicativo WhatsApp, pode contribuir para o desenvolvimento da autonomia moral de adultos no trânsito. Será realizado na Escola Pública de Trânsito (EPT) do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (DetranRS), a qual já promove o curso, em modelo de palestra, voltado para o público qual público, desde 2012. A metodologia empregada será o método experimental, através de dois grupos: o Grupo Experimental (GE), que será submetido à variável independente (curso que utiliza os conhecimentos de Piaget sobre desenvolvimento moral para a elaboração da aula, juntamente com o uso do WhatsApp) e outro Grupo Controle (GC), com o qual será mantida a metodologia de ensino tradicional, já utilizada na EPT. O instrumento para coleta de dados constitui-se de dois questionários que serão aplicados em ambos os grupos, sendo um antes do início da aula e outro ao final. Acredita-se que o curso realizado com o GE, por ter uma metodologia embasada na teoria de Piaget, sobre desenvolvimento moral, e por utilizar recursos tecnológicos como apoio pedagógico, pode apresentar resultados mais significativos, condizentes com a moral autônoma, ao comparar-se as respostas dos questionários aplicados no início e no final da aula.

 

 CONTRIBUIÇÕES DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NA GESTÃO PEDAGÓGICA: NUMA ESCOLA DE EDUCAÇÃO INFANTIL MUNICIPAL EM GRAVATAÍ/RS

Coordenadora: Josiane Carolina Soares Ramos Procasko

Pesquisadora: Karen Selbach Borges

Discente: Greyce da Silva Rodrigues

É de notório saber que muitas escolas, ainda hoje, não contemplam horários de planejamento dentro da carga horária docente, como determina a Lei Federal No 11.738/2008. A vista disso, as turmas que possuem docência compartilhada, sem o tempo de um terço da jornada destinada para dialogarem e construírem juntos as avaliações dos alunos têm a qualidade da educação ofertada prejudicada. Desta forma, analisou-se a seguinte problemática: como ocorre a gestão pedagógica de tempos e espaços para a construção coletiva dos processos educacionais a partir das tecnologias digitais (TDs)? Com o intuito de alcançar respostas, foi traçado como objetivo principal investigar as contribuições das TDs na organização de tempos e espaços adequados para a construção coletiva dos processos pedagógicos. A pertinência deste estudo assenta-se nos desafios que a gestão escolar encontra ao buscar uma comunicação significativa que vise a coordenação efetiva das potencialidades individuais, a fim de promover a colaboração como meio de construir e encaminhar os processos de ensino e aprendizagem de forma coletiva. Portanto, buscou-se aporte na pesquisa bibliográfica e documental com abordagem qualitativa, por meio de Pesquisa Ação para compreender as relações permeadas no ambiente escolar. O lócus da pesquisa será concentrado em uma Escola Municipal de Educação Infantil de Gravataí, localizada na periferia da cidade. Além disso, os procedimentos metodológicos ocorreram através de observação participante e análise de questionários realizados com os docentes pela equipe escolar. Como resultados preliminares destaca-se o observável potencial das TDs para o lócus dessa investigação, uma vez que, a escola em questão possui estrutura para dar continuidade a este estudo e principalmente pelo fato de os educadores já terem iniciado discussões e práticas relacionadas ao uso das tecnologias digitais no seu fazer pedagógico, assim como, possuírem o hábito de acessar a internet com frequência, fator que demonstra familiaridade com recursos digitais.

  

IDOSOS EM AMBIENTES DIGITAIS: O PERIGO DAS FAKE NEWS

Coordenador: Lizandra Brasil Estabel

Discente: Bruno Fortes Luce

Faz-se relevante compreender o papel das notícias falsas perante a sociedade: como são criadas, como são veiculadas nas redes sociais, seus propósitos e suas consequências. Nesta pesquisa será investigado: os idosos, enquanto migrantes-digitais, possuem ou podem adquirir as competências informacionais necessárias para lidar com o fenômeno das fake news em ambientes virtuais? Os sujeitos são idosos, pessoas com 60 anos ou mais, que recebem e acessam notícias falsas no ambiente das redes sociais. São objetivos da pesquisa: objetivo primário: verificar o comportamento dos idosos, na utilização das redes sociais, perante as fake news; objetivos secundários: identificar a criação e disseminação de fake news dentro da redes sociais; observar a utilização na rede social pelos idosos; analisar os mecanismos de busca utilizados pelos idosos; avaliar as fontes de informação utilizadas pelos idosos e analisar o acesso e o compartilhamento de fake news por idosos usuários de redes sociais. Quanto à metodologia é uma pesquisa qualitativa, um estudo de caso e que, para a coleta de dados será realizada a observação, aplicada entrevista semi-estruturada e será realizada uma oficina de literacia digital para os idosos, que possibilitará a análise do comportamento dessa população diante das fake news.

  

METODOLOGIAS ATIVAS NO INSTITUTO FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

Coordenadora: Josiane Carolina Soares Ramos Procasko

Discente: Suélen Patrícia dos Santos

Um dos grandes desafios na gestão do grupo de trabalhadores em educação, sob a ótica pedagógica, é fortalecer os momentos de interações entre os docentes, através de comunicação significativa que vise a coordenação efetiva das potencialidades individuais, a fim de promover a colaboração como meio de construir e encaminhar os processos de ensino e aprendizagem de forma coletiva. Assim, o presente projeto tem como objetivo principal: investigar as contribuições das tecnologias digitais na organização de tempos e espaços adequados para a construção coletiva dos processos pedagógicos. Para concretizá-lo tem-se os seguintes objetivos específicos: identificar recursos tecnológicos que possam fomentar construções colaborativas, inerentes à prática educativa; desenvolver comunidade de prática apoiada no uso das tecnologias digitais, para a promoção e fortalecimento da construção colaborativa dos processos pedagógicos; analisar as contribuições das comunidades de práticas, para a construção coletiva de avaliações (pareceres descritivos) sobre as aprendizagens dos alunos. A abordagem metodológica utilizada será de caráter qualitativo, através de pesquisa bibliográfica e documental, com as seguintes intervenções: observação participante, questionário e projeto de formação continuada através de comunidades de prática virtual, por meio de Pesquisa Ação. Como culminância, construir arquitetura de uma comunidade de prática virtual, focada na construção colaborativa dos documentos escolares. As intervenções citadas serão registradas através de diário de campo, tendo duas categorias norteadoras: o contexto e o comportamento das pessoas. A análise será realizada usando dados provenientes do questionário e diário de campo. Sendo assim, essa investigação possui risco mínimo e oferecerá benefícios ao encontrar meios para minimizar a discrepância que existe entre os momentos de sala de aula, as horas de planejamento e formação docente através de ferramentas digitais. Desta forma, espera-se que esse estudo contribua para disseminar conhecimento científico e tecnológico entre os participantes envolvidos. Então, ao diminuir as lacunas entre tempo e espaço adequados para elaboração coletiva pedagógica da escola essa arquitetura possa ser replicada em outras realidades.

  

PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EAD: AÇÕES DE MELHORIA E ORIENTAÇÃO QUE IMPACTAM NA ATUAÇÃO DE TUTORES

Coordenadora: Márcia Amaral Correa de Moraes

Discente: Fransciely Valladas Velasques

Educação a Distância (EaD) realiza o processo de ensino e aprendizagem através do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) que permite a interação entre docentes, tutores e discentes. Assim, devido a distância física e temporal, existe uma dificuldade em engajar os estudantes nas disciplinas online, como no ensino presencial, considerando a realização das atividades, a interação no ambiente, e principalmente em acessar ativamente o conteúdo. Dessa forma, esta pesquisa apresenta a proposta de identificar os desafios em relação à aprendizagem discente, a fim de propor ações para a tomada de decisão dos tutores que influenciem no envolvimento dos alunos. Nesse sentido, espera-se elaborar um protocolo que apresente essas ações contribuindo com a atuação dos tutores e qualificando os processos de ensino e aprendizagem.

 

 TECNOLOGIAS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO: UMA INOVAÇÃO COMO DIRETRIZ PARA A CIDADANIA

Coordenadora: Josiane Carolina Soares Ramos Procasko

Discente: Bruna da Silva Santos

As diversas transformações que a vertiginosa evolução tecnológica vem desencadeando na sociedade atual, em especial nos ambientes educacionais, são o que propulsiona e instiga a presente pesquisa. A justificativa funda-se na relevância social que os temas debatidos trazem à educação, ao procurar formas de compreender e lidar com a complexidade expressa na contemporaneidade, em prol de uma sociedade mais equânime. A partir desse contexto emerge a questão norteadora: “As tecnologias digitais auxiliam processos inovadores na escola visando a cidadania?” Desse modo, com o intento de alcançar respostas, foi traçado como objetivo analisar as possibilidades e os limites das tecnologias digitais, como alicerce para o desenvolvimento da cidadania no ecossistema escolar. Para tanto, está em andamento pesquisa qualitativa, de caráter descritivo e exploratório, utilizando o estudo de caso, junto a uma escola de educação básica do estado do Rio Grande do Sul. As fontes que subsidiaram a investigação, contemplam a pesquisa bibliográfica e documental, onde foi realizado a construção do referencial teórico, do estado do conhecimento e das considerações parciais. Como proposta de produto pretende-se encontrar dados suficientes à construção de um mapa das competências do gestor do século XXI.

 

O USO DE TECNOLOGIAS MÓVEIS PARA AUXILIAR NA APRENDIZAGEM DE ESTUDANTES COM DISCALCULIA

Coordenador: Márcia Amaral Correa de Moraes

Pesquisadora: Silvia de Castro Bertagnolli

Discente: Infância Bones de Freitas

Discalculia é uma má formação neurológica que provoca transtorno na aprendizagem matemática, ou seja, tudo que se relaciona a números, como fazer operações matemáticas, fazer classificação, etc. A discalculia já pode ser notada a partir da pré-escola, quando a criança tende a ter dificuldades em compreender os termos já utilizados como igual e diferente, maior e menor, porém somente após a introdução de símbolos e conceitos mais específicos que a dificuldade se acentua e sim já pode ser diagnosticado por uma equipe multidisciplinar. Existem métodos e estratégias pedagógicas que se bem planejadas podem levar esse estudante a obter uma aprendizagem satisfatória. Permitir o uso da tecnologia móvel favorece ainda mais o ensino-aprendizagem dos discalcúlicos, pois, vivemos numa sociedade informatizada onde se torna urgente motivá-los a partir desse recurso tecnológico. Levando os estudantes a ter sucesso acadêmico e pessoal. Essa pesquisa para o projeto de qualificação do MPIE (Mestrado Profissional em Informática na Educação) tem seu foco no uso de tecnologias móveis para auxiliar na aprendizagem de estudantes com discalculia, objetivando apoiar os mesmos com um Aplicativo Educacional voltado ao Sistema Monetário Brasileiro, que dê conta de contribuir para o aprimoramento de questões de experiências nos seus contextos vida e atuação como cidadãos, abordando as relações de consumo e a importância da educação financeira.

 

 O USO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO BÁSICA: PROPOSTAS PARA A ESCOLA NO SÉCULO 21

Coordenadora: Carine Bueira Loureiro

Pesquisadores: Rodrigo Prestes Machado, Silvia de Castro Bertagnolli e Maura Corcini Lopes (Unisinos)

Discentes: Franciele Thiesen Cavalheiro, Lucimar Viegas Ferreira e Thais Roberta Koch

O objetivo deste projeto é problematizar o uso das tecnologias digitais na Educação Básica no século 21. A pesquisa será guiada pela seguinte questão: como o uso das tecnologias digitais na educação escolarizada pode contribuir para educar para a responsabilização humana? A partir de teorizações do campo da sociologia, parte-se do entendimento de que as transformações mundiais que afetam os nossos modos de ser e de estar no mundo requerem que a Educação Básica se volte para a formação humana no sentido de preocupar-se e ocupar-se com o outro. Para tanto, é fundamental levar em consideração que as conexões de aprendizagem dos estudantes nascidos no século 21 se modificam em relação aquelas que eram próprias de uma educação moderna. Mais do que isso, educar estes estudantes para a responsabilização humana implica em modificar as práticas pedagógicas que vem sendo mobilizadas na Educação Básica. Neste sentido, é preciso fornecer formação complementar e continuada aos professores de modo a lhes proporcionar ouros elementos que possam não só qualificar, mas transformar as suas práticas por meio de conhecimentos relacionado ao uso das tecnologias digitais. Para dar conta do que este projeto se propõe, a metodologia do projeto consiste em uma pesquisa teórica acerca da educação escolarizada no século 21 pautada pelo uso das Tecnologias Digitais.

  

O USO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NA SUPERVISÃO ESCOLAR

Coordenadora: Márcia Amaral Correa de Moraes

Pesquisador: Fábio Y. Okuyama

Discente: Graziela Triches da Silva

O presente projeto tem como problema investigar em que medida o supervisor escolar pode contribuir na resolução das dificuldades que os professores apresentam para utilização das TDs em sua prática pedagógica no que se refere a planejamento de aulas, processos avaliativos e autoformação continuada. Para tanto, por meio de pesquisa qualitativa de caráter exploratória, identificará as dificuldades docentes na utilização das TDs em sua rotina de trabalho pedagógico, mapeará as TDs disponíveis no ambiente escolar que possam ser agregadas ao trabalho docente e, por meio de planejamento de intervenção, fomentará a utilização de TDs na prática pedagógica.

Fim do conteúdo da página