Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Materiais para os Cursos
Início do conteúdo da página

Material dos Cursos

Publicado: Segunda, 21 de Setembro de 2020, 14h26 | Última atualização em Quinta, 01 de Outubro de 2020, 17h33 | Acessos: 633

 Fontes de Acesso Aberto

A Biblioteca Clóvis Vergara Marques (BCVM), do IFRS/Campus Porto Alegre, está disponibilizando, neste espaço, Fontes de Acesso Aberto. Tais conteúdos poderão ser utilizados por toda a comunidade acadêmica em atividades de Ensino, de Pesquisa e de Extensão, desde que, respeitados os preceitos da Lei de Direito Autoral, LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998., com a respectiva indicação da fonte utilizada.

Caso seja identificado, em nosso Portal, documento armazenado que não esteja em conformidade com as configurações das Fontes de Acesso Aberto, relate o fato à Coordenação da Biblioteca através do e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.r, que, de pronto, o material será excluído do Portal.

Sobre o Acesso Aberto

Acesso aberto, do inglês Open Access, é “a livre disponibilização na Internet de literatura de carácter científico, permitindo a qualquer utilizador pesquisar, consultar, descarregar, imprimir, copiar e distribuir o texto integral de artigos e outras fontes de informação científica”, sendo o limite para a reprodução e distribuição o direito do autor sobre a integridade e crédito de sua obra, assim como sua citação adequada. (LILACS, 2012).

ACESSO aberto e conteúdo online na LILACS. LILACS, São Paulo, 20 abr. 2012. Componentes de Metodologia. Disponível em: http://metodologia.lilacs.bvsalud.org/php/level.php?lang=pt&component=74&item=65. Acesso em: 09 set. 2020.

 

Menu para navegação local:  Licenciatura em Ciências da Natureza | Tecnologia em Gestão Ambiental | Tecnologia em Processos Gerenciais | Tecnologia em Sistemas para Internet |Especialização em Gestão Empresarial | Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT) | Mestrado Profissional em Informática na Educação (MPIE) |Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação (ProfNit)

 Curso Superior de Licenciatura em Ciências da Natureza: Biologia e Química

  Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental

Legislação:

  • RESOLUÇÃO CONAMA Nº 1, DE 23 DE JANEIRO DE 1986.  Dispõe sobre critérios básicos e diretrizes gerais para a avaliação de impacto ambiental.   Alterada pela Resolução nº 11/86 (alterado o art. 2º) ·  Alterada pela Resolução no 5/87 (acrescentado o inciso XVIII) ·   Alterada pela Resolução nº 237/97 (revogados os arts. 3º e 7º).
  • RESOLUÇÃO CONAMA nº 3, de 28 de junho de 1990. Dispõe sobre padrões de qualidade do ar, previstos no PRONAR. Complementa a Resolução no 5/89.
  • RESOLUÇÃO CONAMA nº 237, de 19 de dezembro de 1997. Dispõe sobre a revisão e complementação dos procedimentos e critérios utilizados para o licenciamento ambiental. 
  • RESOLUÇÃO CONAMA Nº 307, de 5 DE JULHO DE  2002 . Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão dos resíduos da construção civil. 
  • RESOLUÇÃO No 357, DE 17 DE MARÇO DE 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Alterada pela Resolução 410/2009 e pela 430/2011
  • RESOLUÇÃO CONAMA nº 358, DE 29 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre o tratamento e a disposição fi nal dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências. Revoga as disposições da Resolução no 5/93, que tratam dos resíduos sólidos oriundos dos serviços de saúde, para os serviços abrangidos no art. 1º desta Resolução. · Revoga a Resolução no 283/01
  • RESOLUÇÃO Nº 420, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009. Dispõe sobre critérios e valores orientadores de qualidade do solo quanto à presença de substâncias químicas e estabelece diretrizes para o gerenciamento ambiental de áreas contaminadas por essas substâncias em decorrência de atividades antrópicas. Alterada pela Resolução CONAMA nº 460/2013 (altera o prazo do art. 8º, e acrescenta novo parágrafo).
  • RESOLUÇÃO No 430, DE 13 DE MAIO DE 2011. Dispõe sobre as condições e padrões de lançamento de efluentes, complementa e altera a Resolução no 357, de 17 de março de 2005, do Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA. Complementa e altera a Resolução nº 357/2005.
  • RESOLUÇÃO Nº 724 DE 03 DE OUTUBRO DE 2011. Agência Nacional de Águas. 
  • Resolução CONSEMA N.º 288/2014. Atualiza e define as tipologias, que causam ou que possam causar impacto de âmbito local, para o exercício da competência Municipal para o licenciamento ambiental, no Estado do Rio Grande do Sul. Alterada pelas Resoluções 291/2015, 323/2016 e 347/2017. 

NRs:

Bibliografia:

Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais

 Bibliografia:

  • CONFEDERAÇÃO NACIONAL DAS INDUSTRIASMobilização empresarial pela inovação: cartilha: gestão da inovação. Brasília: [SEBRAE], 2015.
  • DOUGLAS, Mary. O mundo dos bens, vinte anos depois. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 13, n. 28, p. 17-32, jul./dez. 2007
  • KERZNER, Haroldo. Project management:  a systems approach to planning scheduling, and conrolling . 10th ed. New Jersey: John Wiley& Sons, 2009. 
  • PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. A guide to the Project management body of knowledge: PMBOK guide. 6. ed. Newtow, PA: Project Management Institute, 2017.

      Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet

Bibliografia:

  • D-CC & D-C++ Compiler Suites : C Library Reference Manual: version 4.2 10/98. Foster City,California: Diab Data, 1998.
  • HAGOS, Ted. Learn android studio 3: efficient android app development. New York: Press Media, 2018
  • LABORATÓRIO de IPv6: aprenda na prática usando um emulador de redes. São Paulo : Novatec Editora, 2015. 

  • MANUAL de Oslo: diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. 3. ed. [S.l.]: OECD, 1997.

  • PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de . Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. Ed. Novo Hamburgo: FEVALE, 2013.
  • RATZMAN, Manfred; YOUNG, Clinton. Software testing and internalization. Salt Lake City: Lemoine International, 2003.
  • REBOLO, Carlos. Introdução à linguagem C. São Paulo: CENAPAD, 2013.
  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Centro Nacional de Processamento de Alto Desempenho - São Paulo. Apostila de Treinamento: SAS Programação I : introdução ao SAS: Data Step e Proc Step. ver. São Paulo: UNICAMP, 2016. 

Curso de Especialização em Gestão Empresarial

Legislação:

NRs:

Bibliografia:

Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT)

Legislação:

  • BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução CNE/CEB Nº 1, de 5 de julho de 2000.  Define as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica.

  • BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CEB nº 11/2000/DF. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Brasília: Câmara de Educação Básica, 10 maio 2000. Diário Oficial da União: seção 1, p. 13, Brasília, DF, p. 15, 9 jun. 2000.

  • BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução CNE/CEB Nº 2, de 11 de setembro de 2001. Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica.

  • BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução Nº 4, de 13 de julho de 2010.  Define as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica.
  • BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP Nº 2/2015/DF. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial e Continuada dos Profissionais do Magistério da Educação Básica. Brasília: Ministério da Educação, 25 jun. 2015. Diário Oficial da União: seção 1, p.  32, 25 jun. 2015.

  • BRASIL. Ministério da Educação. Gabinete do Ministro.  Portaria Normativa Nº 17, de 28 de dezembro de 2009. Diário Oficial da União nº 248 (terça-feira) – Seção 1 – Pág. 20 ,2009. Dispõe sobre o mestrado profissional no âmbito da Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES.

  • BRASIL. Presidência da República.  Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

  • BRASIL. Presidência da República.  Lei Nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Brasília, 2014.

Bibliografia:

  • ANDRÉ, M. E. D. A. Formação de professores: a constituição de um campo de estudos. Educação, Porto Alegre, v.33, n. 3, p. 174-181, set./dez. 2010. Dossiê.
  • ANDRÉ, Marli et al. Estado da arte da formação de professores no Brasil. Educação e sociedade, Campinas, v.20, n.68, p.301-309, dez. 1999. 

  • BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Conselhos escolares: democratização da escola e construção da cidadania. Brasília: Secretaria de Educação Básica, 2004. (Programa Nacional de Fortalecimento de Conselhos Escolares; Caderno 1).

  • BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica.  PROEJA:  Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos: educação profissional técnica de nível médio / ensino médio. Brasília: SETEC/MEC, 2007.

  • DESPRESBITERIS, Lea. Confissões de uma educadora: o longo caminho de um aprendizado da avaliação. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, n. 18, p. 33-66, 1998.

  • FRANCO, Jussara Botelho; MOLON, Susana Inês. Espaço educativo não formal: ensinando e aprendendo em uma perspectiva socioambiental e de classe. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, v.17, p.42-51, jul./dez. 2006.

  • FREITAS, Rony C. de Oliveira. JORDANE, Alex. Material didático de matemática para o PROEJA: uma construção colaborativa. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE ENSINO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, 1., 2009. Ponta grossa. Anais [...]. Ponta Grossa: UTFPR, 2009. s.p.

  • GADOTTI, M. Perspectivas atuais da educação. São Paulo em Perspectiva, São Paulo,  vol.14, n.2, p. 03-11. 20001. 

  • GODINHO, Ana Cláudia Ferreira. O formal e o não formal na trajetória formativa de educadoras de jovens e adultos na perspectiva da educação popular. In: REUNIÃO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO, 30, 2007, Caxambu. Anais [...]. Caxambu: ANPEd, 2007.

  • GOHN, Maria da Glória. Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: Aval. Pol. Públ. Educ., Rio de Janeiro, v.14, n.50, p. 27-38, jan./mar. 2006.

  • GUIMARÃES, Y. A. F.; GIORDAN, M. Instrumento para construção e validação de sequências didáticas em um curso a distância de formação continuada de professores. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 8., 2011, Campinas. Anais [...].  Campinas: 2011. s.p.

  • SAVIANI, Dermeval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação. v. 12, n. 34, p. 152-180, jan./abr. 2007. 
  • SAVIANI, Demerval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, Campinas, v. 14, n. 40, p. 143-155, jan./abr. 2009.

  • SKOVSMOSE, Ole. Cenários para Investigação. Bolema – Boletim de Educação Matemática, Rio Claro, v. 13, n. 14, p. 66-91, 2000.

Mestrado Profissional em Informática na Educação (MPIE)

Legislação:

  • BRASIL. Decreto Nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007.

Bibliografia:

  • DALE, Roger. Globalização e educação: demonstrando a existência de uma “Cultura Educacional Mundial Comum” ou localizando uma “Agenda Globalmente Estruturada Para A Educação”?. Educação & Sociedade, Campinas, v. 25, n. 87, p. 423-460, maio/ago. 2004.

  • Elias, T. Learning analytics: definitions, processes, and potential, 2011. 22 p.

  • ERCHT, M. Computação afetiva: vínculos com a psicologia e aplicações na educação. In: CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA DE SÃO PAULO. (Org.). Psicologia & Informática: produções do III Psicoinfo e II jornada do NPPI. São Paulo: Conselho Regional de Psicologia, 2006, v., p. 106-115.

  • Griffiths, D. The implications of analytics for teaching practice in higher education. Bolton: JISC CETIS, 2013. 23 p.  (Analytics Series, Vol.1, No 10).

  • Kraan, W.; Sherlock, D. Analytics tools and infrastructure. Bolton: JISC CETIS, 2013. 24 p. (Analytics Series, Vol.1, No 11). 

  • LUCK, Heloisa. A evolução da gestão educacional a partir da mudança paradigmática. In: CONSELHO NACIONAL DE SECRETÁRIOS DE EDUCAÇÃO.  Programa de Capacitação de Gestores. [Salvador: Secretaria de Educação (Bahia), [2000].
  • WEHRLE, T.; KAISER, S. Emotion research and AI: some theoretical and technical issues. FPSE: Section de Psychologie, Geneva,n. 9, 1988. [Preprint].

  •  

Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação (ProfNit)

Legislação:

NRs:

Bibliografia:

Fim do conteúdo da página